terça-feira, 15 de junho de 2010

Quem ama a Jesus Cristo não se envaidece de suas qualidades - Santo Afonso Maria de Ligório


"A Caridade não se envaidece". O orgulhoso é como um balão de vento que se sente grande diante de si mesmo. Na verdade, toda a sua grandeza se reduz a um pouco de ar que se esvai rapidamente, quando o balão se rompe. Quem ama a Deus é verdadeiramente humilde. Não se orgulha vendo em si algumas boas qualidades.
 
Sabe que tudo quanto possui é dom de Deus; de seu, só tem o nada e o pecado. Por isso, conhecendo os dons concedidos por Deus, mais se humilha, sentindo-se indigno e tão favorecido por Deus.
 
Santa Teresa, falando das graças especiais concedidas a ela por Deus, diz: "Deus faz comigo como se faz com uma casa prestes a cair, sustenta-a com escoras" (Sta. Teresa, Moradas sextas, c. 10. Obras, IV, p. 171; Libro de la Vida, c. 18, Obras, I, p. 131).
 
Quando alguém recebe uma visita de Deus, sentindo em si a força extraordinária do amor divino que o leva até a emoção e a uma grande ternura de coração, não se julgue favorecido ou recompensado pelo Senhor por ter feito alguma obra boa.
 
Humilha-se ainda mais, entendendo que Deus acaricia, para que não O abandone. Mas se tais graças lhes inspiram alguma vaidade, sentindo-se mais favorecido porque é mais fiel a Deus do que os outros, tal defeito fará com que Deus o prive de Suas graças. Para conservar uma casa, duas são as coisas mais necessárias: o alicerce e o telhado. Na casa da nossa santificação, o alicerce é a humildade, reconhecendo que nada somos e nada podemos. O telhado é a proteção de Deus na qual unicamente devemos confiar.
 
Quando nos vemos mais favorecidos por Deus, mais devemos ser humildes. Quando Santa Teresa recebia uma graça especial, procurava por diante de seus olhos todas as suas faltas e assim o Senhor mais se unia a Ela. (Livro de la Vida, c. 18,22), Quanto mais uma pessoa se acha indigna de graças, mais Deus a enriquece delas.
 
Santa Taís era uma pecadora e depois se tornou uma santa. Humilhava-se tanto na presença de Deus, julgando-se até indigna de dizer Seu nome, não ousava dizer "meu Deus" mas repetia sempre "Meu Criador, tende piedade de mim". São Jerônimo diz ter visto um lugar especial no céu para ela por tal humildade. (Vitae Patrum, 1.1: Vita Sanctae Thaisis, meretricis, c.2 e 3. Ml 73-662)
 
Um caso semelhante se lê na vida de Santa Margarida de Cortona. Sentindo com ternura o amor de Deus, dizia: "Senhor, já esquecestes do que eu fui? Como me pagais com favores a tantas ofensas que Vos fiz?" Deus então a fez sentir que, quando uma pessoa O ama e se arrepende de coração por tê-lO ofendido, Ele se esquece das faltas recebidas. "Se no entanto, o homem mau renuncia a todos os seus erros... não lhe será tomada em conta qualquer das faltas cometidas" (Ez. 18,21-22). Como prova disso, mostrou-lhe no céu um lugar glorioso que lhe estava preparado entre os anjos. (Marchese, Vita, 1.1,c. 18, nº 9;1.2, c.11, nº 8,9)
 
Oh, se pudéssemos compreender o valor da humildade! Vale mais um ato de humildade do que a conquista de todas as riquezas do mundo.
 
***
 
O medo de ser humilhado

Para ser humilde não basta  ter um baixo conceito de si e da própria fraqueza. Diz Tomás de Kempis que o verdadeiro humilde é aquele que reconhece seu nada e se alegra nas humilhações (Imitação de Cristo, 1.3, c. 7, nº 23-24). Isso é o que o Cristo nos recomendou fazer, segundo seu exemplo: "Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração" (Mt. 11,29)
 
Quem diz ser o maior pecador do mundo e fica irritado quando o desprezam ,mostra que é humilde da boca pra fora, mas não de coração. Diz Santo Tomás que quando alguém, vendo-se desprezado, fica ressentido, mesmo se longe da perfeição.(Sto. Tomás de Aquino, em B. Henrique Suso, Sermo 4, Opera)
 
"A humildade consiste em alegrarmo-nos com tudo o que nos leva a reconhecer nosso nada". Notemos bem "alegrarmo-nos". Se nossos sentimentos se ressentem com os desprezos recebidos, ao menos em nosso espírito devemos nos alegrar.
 
Como poderá uma pessoa que ama a Jesus Cristo deixar de aceitar os desprezos, vendo seu Deus suportar escarros e tapas como sofreu na Sua Paixão? "E  cuspiram-Lhe no rosto, bateram-Lhe com murros e deram-Lhe tapas" (Mt. 26,67)

Nosso  divino Redentor quis ser representado e exposto sobre os altares, não sob o aspecto glorioso, mas crucificado, para termos sempre diante de nós Seus desprezos. Vendo-o assim, os santos também se alegravam quando desprezados na terra. Esta foi a oração de São João da Cruz às costas: "Senhor, quero padecer e ser desprezado por amor de Vós" (Marco da S. Francesco, O. C., Vita, 1.3, c.1, nº 10. Opera del santo, tom.3)

Senhor, vendo-Vos desprezado por meu amor, outra coisa não Vos peço, senão  me fazer sofrer e ser desprezado por amor a Vós.

 
O alicerce da humildade

Diz São Francisco de Sales: "Suportar os desprezos é pedra de toque da humildade e da verdadeira virtude" (Lettre 2069, à la Mère de Chantal. Oeuvres, XXI, 151 - São Francisco de Sales). Uma pessoa que se apresenta como religiosa, reza, comunga freqüentemente, jejua, pratica a mortificação, mas que depois não pode suportar uma injúria, uma palavra picante, mostra ser o que?

Mostra que não passa de um pau oco, sem humildade e sem virtude. E que sabe fazer uma pessoa que ama a Jesus Cristo, se não é capaz de sofrer um desprezo por amor d'Ele, que tanto sofreu por seu amor?

Escreve Tomás de Kempis: "Já que te aborreces tanto em ser humilhado, é sinal de que não estás morto para o mundo, não tens humildade, não tens Deus como tudo na sua vida. Quem não tem Deus como tudo, perturba-se com toda a palavra de crítica que escuta" (Imitação de Cristo, 1.3, c. 46, nº 8-11). Não podemos suportar bofetadas e ferimentos por Deus? Ao menos, suportaremos algumas palavras mais duras!

Causa admiração e escândalo uma pessoa que comunga com freqüência e depois se ressente com qualquer palavra de desprezo. Ao contrário, como é edificante uma pessoa que responde com uma palavra mansa para acalmar quem a ofendeu. Ou então, sem nada responder nem se queixar aos outros, conserva o rosto sereno sem mostrar irritação!

Diz São João Crisóstomo que
o homem manso é útil não só para si mesmo mas também para os outros, pelo bom exemplo que dá de sua mansidão, quando é desprezado (In Acta Apostolorum, hom. 6, nº 4. MG 60-62). Falando sobre esse assunto, Tomás de Kempis apresenta muitas ocasiões em que devemos ser humildes:

"Darão ouvidos ao que dizem os outros, e será desprezado o que dizes. Pedirão os outros e receberão; pedirás tu e ser-te-á negado. Serão grandes os outros na boca dos homens; de ti não se falará. Aos outros será dado este ou aquele trabalho, tu não serás julgado bom para nada. Com estas provações costuma o servo fiel ser experimentado pelo Senhor, para ver se sabe renunciar-se a si mesmo e repousar n'Ele. Por isso a natureza ficará magoada, muitas vezes; fará, porém, grandes coisas se, em silêncio, tudo sofreres."(Imitação de Cristo, 1.3, c. 49, nº 20-25)

Felizes os humildes

Dizia Santa Joana de Chantal: "Quem é verdadeiramente humilde, vendo-se humilhado, mais se humilha" (Entretiens faits à la récreation e aux assembléss de la Communalté, XIX. Vie et Oeuvres, II, 284,285). Sim, porque a pessoa humilde nunca se julga tão humilhada quanto merece. Os que fazem assim são chamados por Cristo de "felizes".

Os que são estimados, honrados e louvados por sua nobreza, ciência e poder não são chamados "felizes" por Cristo. Mas uma grande recompensa será dada no céu aos que são amaldiçoados pelo mundo, perseguidos e caluniados pelos homens, se sofrerem tudo isso com paciência: "Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e vos perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós, porque será grande a vossa recompensa nos céus" (Mt. 5, 11-12)

Devemos praticar a humildade principalmente quando somos repreendidos por alguma falta pelos nossos superiores ou por outra pessoa qualquer.

Alguns fazem como ouriços: quando não são atacados, parecem calmos e cheios de mansidão. Mas quando um superior ou amigo as toca lembrando-lhes alguma coisa mal feita, arrepiam logo os espinhos. Respondem com azedume dizendo que não é verdade, ou que tiveram motivos para o fazer, ou que não tinha cabimento aquela admoestação. Em resumo, quem os repreende torna-se seu inimigo. Fazem como aqueles que se zangam com o médico porque os faz sofrer dores quando realiza os curativos de suas feridas. (S.Bernardo, In Cantica, sermo 42, nº 3, ML 341-344)

Diz São João Crisóstomo: "A pessoa santa é humilde, quando é repreendida arrepende-se da falta que fez. Ao contrário, quem é orgulhoso fica magoado quando é corrigido. Fica magoado por ver descoberto o seu defeito e por isso responde e indigna-se com quem o adverte" (In Mathaeum, hom. 68 - al.69 -, nº 1-2, MG 58 de 341 a 344).

São Felipe Néri dá esta regra a quem é acusado sem motivo: "Quem quer ficar verdadeiramente santo nunca deve se desculpar, nem que seja falso o que lhe atribuem" (Bacci, Vita, 1.2, c. 17, nº 22). A única exceção acontece quando é necessário defender-se para evitar escândalo. Quanto merecimento perante Deus tem uma pessoa que é repreendida, até mesmo sem razão, e se cala e não se desculpa! Dizia Santa Teresa: "Uma pessoa caminha mais para Deus quando deixa de desculpar-se do que ouvindo dez sermões. Não se desculpando, começa a adquirir a liberdade interior e a não se preocupar se dizem dele bem ou mal" (Sta.Teresa, Caminho de perfección, c.15)

Oração

Verbo Encarnado, peço-Vos, pelos merecimentos de Vossa santa humildade que Vos fez abraçar tantos desprezos e injúrias por nosso amor, livrai-me do orgulho e dai-me parte da vossa santa humildade. Como posso me lamentar de alguma ofensa, sobretudo depois de ter merecido tantas vezes o inferno?

Meu Jesus, pelos méritos de tantos desprezos que sofrestes na Vossa Paixão, dai-me a graça de viver e morrer humilhado nesta terra, como Vos dignastes viver e morrer humilhado por amor de mim. Por Vosso amor desejaria ser desprezado e abandonado por todos: mas sem Vós nada posso fazer.

Amo-Vos, meu Deus, amo-Vos como o tudo de minha vida. Estou resolvido e espero, com a Vossa graça, sofrer tudo por Vós: ofensas, traições, perseguições, dores, solidão, abandono. Basta que não me abandoneis, Vós, o único bem de minha vida. Não deixeis que me afaste de Vós.

Dai-me o desejo de Vos agradar, o entusiasmo no Vosso Amor, calma nos sofrimentos, paciência em todas as contrariedades. Tende piedade de mim. Nada mereço, mas espero tudo de Vós, pois me remistes com Vosso sangue.

Tudo espero de Vós, Maria, minha Mãe e Rainha, porque sois o refúgio dos pecadores.


Santo Afonso Maria de Ligório, em A prática do amor a Jesus Cristo
 

Um comentário:

  1. Diz São Francisco de Sales: "Suportar os desprezos é pedra de toque da humildade e da verdadeira virtude" Quanta ainda falta para mim beber pelo menos uma gota dessa virtude. Caio facilmente nas distrações e acabo ferimento meu amado. Nossa Senhora e Rainha, dai-me força para lutar com os desejos da carne que me atemorizam dia e noite envaidecendo-me cada vez mais, afastando-me dos sofrimentos de Cristo.

    ResponderExcluir

Comente:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...