sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Quem se encontrasse, sem culpa sua, fora da Igreja, poderia salvar-se?

A pergunta e sua devida resposta são do Catecismo de São Pio X, de 1905. A reflexão  ilustrada por uma analogia é uma tentativa de expormos uma breve explicação.

"Mas quem se encontrasse, sem culpa sua, fora da Igreja, poderia salvar-se? Quem, encontrando-se sem culpa sua - quer dizer, em boa fé - fora da Igreja, tivesse recebido o batismo, ou tivesse desejo, ao menos implícito, de o receber e além disso procurasse sinceramente a verdade, e cumprisse a vontade de Deus o melhor que pudesse, ainda que separado do corpo da Igreja, estaria unido à alma dEla, e portanto no caminho da salvação".

Nessa exposição catequética, distinguem-se duas situações diferentes: "tivesse recebido o batismo" e "ou tivesse o desejo, ao menos implícito, de o receber". Importa reconhecer que ambas possam possibilitar a um mesmo encaminhamento, qual seja, de estarem "no caminho da salvação". Percebe-se que falta algo a cada um. Certamente que o batismo, por si só, não garante a salvação, mas é um requisito indispensável que não dispensa a busca sincera pela verdade e o cumprimento da vontade de Deus o melhor que possa. Da mesma forma, quem tem apenas o desejo implícito ou explícito do batismo, subtendendo-se como aquele que já busca sinceramente pela verdade e cumpre a vontade de Deus o melhor que possa, falta-lhe o batismo. Uma analogia pode ser apresentada aqui para ilustrar a reflexão: Duas pessoas têm a missão de percorrer um longo caminho que dá para uma porta que se deve entrar. A primeira já tem a chave que abre a porta, porém é necessário deslocar-se pelo caminho para chegar até a porta. A segunda já está se deslocando rumo à porta, mas é preciso que alguém lhe dê a chave que a permitirá abri-la.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...