sexta-feira, 16 de março de 2012

É impossível amar a Deus sem amar ao mesmo tempo ao próximo

Necessidade e excelência do amor do próximo

É impossível amar a Deus sem amar ao mesmo tempo ao próximo. O mesmo mandamento que nos obriga ao amor de Deus nos impõe o amor do próximo. “Temos este mandamento de Deus, que quem ama a Deus ame igualmente a seu próximo” ( 1 Jo 4, 21).
S. Tomás de Aquino conclui dessas palavras do Apóstolo que a única virtude da caridade abrange não só o amor de Deus, como também o amor do próximo, pois a única e mesma caridade faz que amemos não só a Deus, como também ao amor do próximo, pois a única e mesma caridade faz que amemos não só a Deus, como também o próximo por amor de Deus (II-II, q. 25, a. 1). Assim se explica o que S. Jerônimo (In ep. Ad Gall., c. 6) narra de S. João Evangelista. Perguntado por seus discípulos por que recomendava tão repetidas vezes a caridade fraterna, respondeu: Porque é o preceito do Senhor e a sua observância só basta para a bem-aventurança eterna.
S. Catarina de Gênova disse uma vez ao Senhor: Ó meu Deus, vós me mandais amar a meu próximo, e eu não posso amar senão a vós. Ao que lhe respondeu o Senhor: Minha filha, quem me ama, ama tudo que eu amo. De fato, quando se ama uma pessoa ama-se também seus parentes, seus servos, seu retrato e até suas vestes, e por quê? Porque são estimadas pela pessoa amada.

Da obra “ESCOLA DA PERFEIÇÃO CRISTÔ , compilada dos escritos de Santo Afonso de Ligório pelo Pe. Saint-Omer, C.SS.R..

= = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = = =
Nota: Com esta postagem damos início à publicação, através de textos em série, do Capítulo IV de tão magnífica obra com os ensinamentos do grande Doutor da Igreja, Santo Afonso de Ligório, que abrange a temática “Do amor ao próximo”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...