Os pobres de espírito (CATENA ÁUREA)

“Bem aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos Céus ” (Mt 5,3)

SANTO AGOSTINHO

A presunção de espírito representa o orgulho e a soberba. Costuma-se dizer, com toda propriedade, que os orgulhosos
tem um espírito grande porque o espírito é chamado de vento. Quem desconhece que dos orgulhosos se dizem inflados
como se estivessem cheios de vento? Portanto, aqui se entende por pobres de espírito os pobres que temem a Deus, isto é, aqueles que não tem o espírito inchado.

CRISÓSTOMO (Pseudo)

É o que diz claramente: “Bem aventurados os pobres de espírito” para manifestar assim que são mendigos os que sempre escutam a Deus. No texto grego diz: “Bem-aventurados os mendigos e os pobres”. Há muitas pessoas que só são
humildes por natureza, não pela fé, porque eles não imploram a ajuda de Deus . Porém, verdadeiramente humildes, são apenas aqueles que o são pela fé.

SÃO JOÃO CRISÓSTOMO

Os pobres de espírito também podem ser aqueles que temem e tremem diante dos mandamentos de Deus, como o próprio Deus diz através de Isaías. O que mais pode ser simplesmente
humilde? Pode ser humilde aqui certamente o simples, mas pode ser que aquele que tenha alguma abundância também o seja.

SANTO AGOSTINHO

Os soberbos almejam as coisas da terra, mas o Reino dos Céus é dos humildes.

CRISÓSTOMO (Pseudo)

Assim como todos os vícios conduzem ao inferno, especialmente a soberba, assim todas as virtudes
conduzem ao céu, especialmente a humildade, porque é muito natural que seja exaltado o que se humilha.

SÃO JERÔNIMO

Bem aventurados os pobres de espírito, isto é, os que por obra do Espírito Santo se fazem pobres voluntariamente.

SANTO AMBRÓSIO

Aqui começa a bem aventurança no julgamento de Deus, que é
considerada a prostração humana.

Glosa


Aos pobres se oferecem oportunamente na vida presente as riquezas do céu.

(São Tomás de Aquino, na Catena Áurea)

2 comentários:

  1. Li este com meu professor de Catecismo da Crise na Igreja...
    Há sempre algo a mais para se aprender sobre o que já se achava saber.

    ResponderExcluir
  2. É sempre bom conhecermos os ensinos dos santos.

    ResponderExcluir

Comente:

O LEGADO DE FÉ E MORAL DOS SANTOS AOS FIÉIS DE HOJE (Artigo)

Que falta ao católico de hoje? Responder-se-ia com grande sensatez afirmando que, substancialmente, falta-lhe conhecer e viver com ma...

Assine o Arena da Teologia

Assine o Arena da Teologia
Receba conteúdo exclusivo por e-mail. Blog essencialmente de teologia católica abordando questões necessárias e urgentes aos tempos atuais.

Postagens mais acessadas

Adquira o livro do editor do blog

Adquira o livro do editor do blog
Nesta obra é apresentado um panorama montado a partir da visão dos católicos ditos tradicionalistas, aqueles que fizeram e fazem resistência às mudanças que desfiguraram a Igreja Católica a partir do Concílio Vaticano II. Episódios pouco conhecidos dos católicos são trazidos à tona, bem como se tenta desvendar os reais motivos para a realização de uma reforma na celebração da Santa Missa, algo tido como acontecimento improvável para o mundo católico após a promulgação da Bula Quo Primum Tempore, um documento do Papa São Pio V que, em 1570, tornava definitiva a forma com a qual se deveria celebrar a Santa Missa a partir de então.

Fale direto com o editor:

  • claudiomarfilho@gmail.com

Total de visualizações

Editor do Blog:

Editor do Blog:
Claudiomar Ferreira de Medeiros Filho

PADROEIRO DESTE BLOG

PADROEIRO DESTE BLOG
São Tomás de Aquino